ÁGUA, ELEMENTO VITAL
O fato da Água estar situada no centro da Roda dos Alimentos não é por acaso! A sua inclusão na alimentação reveste-se da maior importância, uma vez que nos protege contra as infeções urinárias, diminui o risco de formação de cálculos nos rins (vulgarmente designado por “pedra” nos rins), entre outros. De referir que, num estado de desidratação moderada (com perda de cerca de 2% do peso corporal), as funções cognitivas estão em risco, podendo ocorrer diminuição das nossas capacidades de nível psicomotor, visual e cognitivo.

Além disso, a Água está presente em todos os alimentos. O grupo dos hortofrutícolas é o que apresenta maior percentagem; exemplos disso são a alface, o aipo e a melancia que contêm, respetivamente, 96%, 95% e 92% de água. Tipicamente os alimentes sólidos fornecem-nos 750ml (aproximadamente 3 copos) de Água diariamente. No entanto, a quantidade de Água ingerida através dos alimentos não é suficiente! 

Segundo os valores de referência da European Food Safety Authority (EFSA), a quantidade de Água total a ser ingerida por crianças com idades compreendidas entre 6 meses e os 2 anos, encontra-se entre os 1,1 a 1,2 L. Este valor vai aumentando com a idade, e diferenciando-se entre o sexo feminino e masculino a partir dos 9 anos. Entre os 9 e os 13 anos, os valores de referência de ingestão diária de Água situam-se entre os 1,9L e os 2,1L, para meninas e meninos, respetivamente. A partir dos 13 anos, as recomendações de ingestão de água total são semelhantes às dos adultos, ou seja, cerca de 2L para mulheres e cerca de 2,5L para homens.

Existem grupos populacionais onde tem de existir particular atenção no que concerne à sua hidratação: os idosos e as crianças. À medida que envelhecemos, a nossa perceção de sede diminui, o que torna os idosos um grupo de elevado risco, propício à desidratação. Relativamente às crianças, estas são mais suscetíveis e apresentam grandes oscilações em termos hídricos, devido a diarreias, vómitos ou mesmo por esquecimento no que toca à ingestão de líquidos. Para além disso, a constante atividade física, por parte das crianças, aumenta as suas necessidades de Água. Desta forma, não devemos negligenciar a ingestão da quantidade de Água recomendada diariamente para o bom funcionamento do organismo. 

Rui Beijoco
Nutricionista